A relação do apóstolo Paulo com a igreja em Corinto conheceu momentos dolorosos. Tendo plantado aquela congregação, Paulo sentia um especial afecto pelos irmãos e um zelo inexcedível pela sua santidade.

Após a partida de Paulo muitos problemas começaram a afectar a vivência e o testemunho da igreja na cidade. Havia uma luta de poder pela liderança da igreja, falta de amor entre os irmãos que se desprezavam uns aos outros e até disputavam nos tribunais públicos as suas contentas, imoralidade descarada e impune, etc.

Quando Paulo, estando em Éfeso, ouve estas notícias escreve a 1ª Carta aos Coríntios. Esta carta é muito dura e Paulo tenta corrigir os graves problemas. Depois da carta, Paulo faz uma rápida visita à igreja onde encontra forte oposição. Descontente com os resultados tanto da carta, como da visita, Paulo escreve uma segunda carta (esta carta não chegou até nós). Esta foi ainda mais dura do que primeira, e escrita com lágrimas.

Depois destes esforços, Paulo resolve dar tempo à igreja para que reconsidere e se arrependa. Ele aguarda notícias da parte do seu colaborador Tito, que, por tardarem, atrasam também uma nova visita à igreja e qualquer comunicação de Paulo aos irmãos.

Quando Tito finalmente encontra Paulo, conta-lhe acerca do arrependimento da igreja – pelo menos a  maioria – e tais notícias animam o apóstolo. Não podendo visitar de imediato a igreja, Paulo escreve aquela que conhecemos como 2ª Carta aos Coríntios, uma mensagem afectuosa e calorosa, “para que conhecêsseis o amor que abundantemente vos tenho.” (2Cor.2:4)

Nesta Série “Ser Cristão e Ser Igreja” vamos estudar a 2ª Carta de Paulo aos Coríntios. Nela, Paulo fala muito sobre o seu ministério e, através do seu exemplo e das recomendações que faz à igreja, vamos aprender sobre o carácter que deve definir todo o cristão. Mas, não é só sobre a nossa experiência individual que falaremos.

Aquilo que somos como cristãos define aquilo que somos como Igreja. A Igreja é muitas vezes criticada e atacada por culpa dos próprios cristãos – por causa do seu carácter e testemunho reprovável. Uma transformação do nosso carácter individual vai produzir uma transformação na comunidade da Igreja.

Porque nós somos para com Deus o bom perfume de Cristo, tanto nos que são salvos como nos que se perdem. (2Cor.2:15)

Abaixo estão listados os tópicos abordados. Esta página será actualizada semanalmente com o estudo mais recente. 

Anúncios