Crês tu isto?

A fé é uma coisa difícil de concretizar. Sendo, por definição, a crença firme em coisas que não se vêem (Hb.11:1), torna-se uma experiência íntima e pessoal, real apenas para quem a tem. Apesar disso, as suas evidências são indisfarçáveis. No modelar de comportamentos, ideias, ideais, intenções, motivações e anseios. Essas evidências mostram-se tanto mais quanto mais provada for. Tal como o ouro, ou a prata, que brilham mais quando o fogo é mais forte (1Pd.1:7). Não tenhas, por isso, medo da prova. Ela é oportunidade de crescimento e benção! (Rm.5:1-5)

Nos momentos de aperto e contrariedade é difícil manter o ânimo e confiar. Perguntas: “Porquê?” Os últimos meses têm sido de deserto. Uma jornada árdua sem vislumbre de fim. Ao longo deste tempo fui assaltado algumas vezes pela mesma inquietação. Deus, por seu lado, tem mantido o meu ânimo (Js.1:9)! Glória a Ele!

Crês tu isto?” – Hoje esta questão não me tem saído da cabeça (nem do coração). Jesus dirigiu esta questão a uma pessoa especial, Marta, irmã de Maria e Lázaro, amigos íntimos dele. O contexto era difícil, doloroso e catastrófico: Lázaro morrera, e Jesus nada tinha feito para o impedir. (Jo.11) Eis o que aprendi com este encontro:

  1. Marta estava magoada, e não se coibiu de o demonstrar a Jesus (vs.21). O nosso relacionamento com Deus deve ser transparente. Ele não se incomoda em ouvir as tuas aflições ou ansiedades. Deixa o teu fardo aos pés de Jesus, e encontrarás descanso.
  2. Ele, cheio de graça, consolou-a com as promessas de Deus (vs.23) . A nossa consolação está, e sempre estará em Deus. As Suas promessas, a Sua Palavra são a nossa provisão. Como se costuma dizer, não olhes para o tamanho dos teus problemas, olha para o tamanho do teu Deus!
  3. Marta responde como que a dizer: “Sim, sim, eu sei de tudo isso, mas, a minha situação continua a mesma!” (vs.24). Cometemos muitas vezes este erro, o de aligeirar a fé, de aceitar as promessas de Deus apenas em teoria mas sem eficácia prática no nosso dia-a-dia. Poderemos chamar a isso de fé? A verdadeira fé transporta-te ao gozo presente das promessas divinas, independentemente das circunstâncias.
  4. Jesus leva Marta a reflectir melhor na realidade para além do que os olhos vêem (vs.25,26). A realidade que a fé alcança e vislumbra da parte de Deus. E, por fim, remata: “Crês tu isto?” Esta pergunta de Jesus é como: “Que fé é a tua? Acreditas mesmo naquilo de que falas? Quem sou Eu na realidade da tua vida?”

É na travessia dos desertos da vida que a realidade da tua fé vem ao de cima e se revela perante todos. Se só és capaz de ser crente ao domingo, quando tudo vai bem, mas fraquejas quando tens de pagar o preço, que valor tem a tua fé? A promessa de Deus para nós é que mesmo no meio da prova somos mais do que vencedores em Cristo! (Rm.8:35-39) Aleluia! Comporta-te como um vencedor. Age com confiança. Espera pacientemente. E, louva a Deus pela Sua provisão. E o bom cheiro de Cristo fluirá da tua vida para benção de todos quantos te rodeiam.

A história de Marta mudou. E, foi Jesus que operou essa mudança. Lázaro ressuscitou! Do deserto brotaram águas, e o oásis chegou. Chegará também para ti.

Crês tu isto?

Gerir expectativas

Texto-base: Malaquias 3:13-18

As expectativas são uma parte fundamental da vida. São elas que criam a motivação para fazer tudo quanto fazemos. A expectativa de receber um salário motiva-nos a ir trabalhar todos os dias. A expectativa de passarmos um bom tempo motiva-nos a procurar os amigos. A expectativa de ser bem-sucedido motiva-nos a estudar para um exame. Pelo contrário, quando não temos expectativas ou elas são pobres ou fracas não nos animamos a fazer seja o que for.

O próprio Deus lida connosco com base em expectativas. Em Hebreus 11:1 lemos,

“Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem.”

e, de novo no versículo 6,

“Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.”

A fé aponta para a expectativa. Mas, como diz o texto, é um firme fundamento, porque Deus não falha nem desilude. Por oposição, Satanás, o grande inimigo de Deus e nosso, tudo faz para frustrar as nossas expectativas. Ele faz isso de duas maneiras:

  • criando obstáculos e dificuldades à concretização de expectativas válidas e realistas.
  • contaminando as nossas expectativas com ilusões que nunca poderão concretizar-se.

Com a primeira estratégia ele pode causar dano que será mais facilmente ultrapassado porque conhecemos em Quem confiamos.

“Por cuja causa padeço também isto, mas não me envergonho; porque eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele dia.” 2 Timóteo 1:12

Já no segundo caso as coisas são mais complicadas porque os fracassos sucessivos normalmente conduzem a uma frustração crescente, que gera amargura e, por fim, rebeldia contra Deus.

No texto de Malaquias percebemos uma grande amargura nas palavras do povo de Israel, que se traduz em violência verbal e desprezo pelo Senhor. Recuando às origens da nação, podemos recordar que se havia alguém com motivos para ter expectativas altíssimas acerca do seu futuro, e ainda assim estar seguro da sua concretização, era o povo hebreu. Desde o chamado de Abrão que tudo quanto dizia respeito a esta família que se fez nação estava alicerçado na Palavra, Promessas e Vontade de Deus. Era por isso um futuro infalivel!

Surge a questão: como chegaram então a este ponto? Eles deixaram que Satanás contaminasse as suas expectativas com ilusões. E as ilusões não têm nada que ver com a realidade. São desejos do coração, sonhos, devaneios e vontades que não têm alicerce em argumentos sólidos e verificáveis. Pensemos por um instante: o que diríamos de um empresário que todas as suas decisões de investimento baseado em “feelings” e palpites, ignorando os relatórios técnicos e os conselhos dos seus gestores? Provavelmente não lhe imaginamos um futuro muito auspicioso. No entanto, muitos vivem as suas vidas assim. A nação de Israel trocou as promessas seguras de Deus por ilusões. Eles começaram a olhar para os outros e a desejar o que eles tinham, muito embora eles tivessem coisas mais excelentes. Como consequência perderam tudo. As suas expectativas foram frustradas. Perderam a nação. Perderam a liberdade. Perderam o presente vivido à luz do futuro anunciado.

Tão grande frustração produziu neles uma amargura imensa. Ela é perceptível em muitas coisas que dizem contra Deus:

  1. Insensibilidade ao apelo de Deus. (vs.13)
  2. Falar contra Deus. (vs.14)
  3. Desprezar Deus. (vs.15)

A sua amargura gerou violência e conflito.  Esse é o fruto de expectativas irrealistas. Essa é a obra de Satanás. Mas, há outra atitude que podemos assumir. Trazer Deus para o centro das nossas vidas alinhará todas as nossas expectativas com a Sua vontade. Temer o Senhor, fazer memória do Seu Nome, e compartilhar a fé com os irmãos colocará as nossas vidas como memorial diante de Deus, e Ele nos tratará como o seu particular tesouro! Que benção!

Mas, este é o lugar mais difícil. Deus é Luz! É Verdade! Ele não muda! Tudo nEle é real, sem ilusões. Por isso, chegar mais perto de Deus significa confrontarmo-nos com a realidade das nossas vidas. É com isso que Deus lida. Isso não é fácil nem agradável. Pecado. Impotência. Necessidade. Fragilidade. Coisas que não gostamos de admitir. Mas, esse é o caminho para construir expectativas realistas e infalíveis acerca do nosso futuro. Pode parecer loucura aos olhos de muitos, mas aqueles que assim amam e buscam ao Senhor, sabem o que o futuro lhes reserva. E, entendem que este não se compara com as dificuldades, frustrações ou sofrimentos que tenham que suportar por um pouco de tempo.

Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente; 2 Coríntios 4:17

Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada. Romanos 8:18

Há um dia preparado por Deus em que se verá outra vez a diferença entre aqueles que O temem e os que O desprezam. (vs.18) Põe em Cristo a tua confiança e expectativa e jamais serás confundido.

Porque a Escritura diz: Todo aquele que nele crer não será confundido. Romanos 10:11

.

_______________________________________________________________

Gerir expectativas está disponível em Pregações (.mp3 e .pdf disponíveis)