Crer como criança

Os meus filhos são, na minha vida,  a parábola viva do que Jesus ensinou: “Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus.” (Mateus 18:3)

crianca

Ontem, durante o jantar, surgiu a incómoda pergunta: “O que acontece às pessoas quando morrem?” Eu e S. gostamos de esclarecer os nossos filhos e, com a simplicidade necessária, oferecemos a explicação.

Quando falava sobre o Céu e o inferno eles prestaram muita atenção. Expliquei que quem não se arrepende dos seus pecados vai receber o castigo de Deus, mas quem se arrepende e crê no Senhor Jesus como Salvador vai para o Céu.

O J. interrompe subitamente e diz: “Posso sair da mesa para ir ao meu quarto orar?” Saiu apressado e foi confessar os seus pecados a Deus. Voltou radiante e aliviado por estar em paz com Deus.

A simplicidade do Evangelho encontra terreno fértil na simplicidade do coração das crianças. Quando crescemos, o insidioso pecado contamina todo o nosso ser, e o Evangelho torna-se, aos nossos olhos castrador e repugnante. Resistimos a Deus porque amamos mais o pecado. Enxovalhamos o Evangelho porque queremos reivindicar o nosso direito ao Céu. Adiamos o arrependimento porque temos coisas mais importantes a fazer primeiro. No fim, perdemos tudo.

A fome do Inferno :: Devocional

18.Maio :: Provérbios 27:20

Lucrécio, poeta da Roma Antiga, disse sobre o inferno:

“É preciso afugentar com ímpeto esse medo do Inferno
que perturba profundamente a vida do homem,
estendendo sobre tudo a lúgubre sombra de morte
e não deixando existir nenhuma alegria serena e inteira.”

O Homem tenta escapar à realidade do Inferno por todos os meios. Ignorando. Fantasiando. Esperando que seja aqui e agora pelos rigores que a vida impõe. Racionalizando.

A verdade, porém, é que o Inferno é bem real, e, nenhuma das tentativas do Homem o afastará dele. Todos os dias milhões de pessoas descobrem esta realidade da pior maneira. Porque o Inferno nunca se farta. E, os olhos do Homem – sede da sua concupiscência – nunca se fartam de pecar!

A Boa Nova de Deus é que:

“Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más.” (Jo.3:16-19)

  1. Qual é a tua convicção em relação ao Inferno?
  2. O que pensas depois da meditação de hoje?
  3. O que vais fazer pelos teus amigos/conhecidos que ainda não conhecem esta realidade?