Design Inteligente: a revolução científica que nos conduzirá a Deus?

“O SENHOR me possuiu no princípio de seus caminhos, desde então, e antes de suas obras. Desde a eternidade fui ungida, desde o princípio, antes do começo da terra. Quando ainda não havia abismos, fui gerada, quando ainda não havia fontes carregadas de águas. Antes que os montes se houvessem assentado, antes dos outeiros, eu fui gerada. Ainda ele não tinha feito a terra, nem os campos, nem o princípio do pó do mundo. Quando ele preparava os céus, aí estava eu, quando traçava o horizonte sobre a face do abismo; Quando firmava as nuvens acima, quando fortificava as fontes do abismo, Quando fixava ao mar o seu termo, para que as águas não traspassassem o seu mando, quando compunha os fundamentos da terra. Então eu estava com ele, e era seu arquiteto; era cada dia as suas delícias, alegrando-me perante ele em todo o tempo; Regozijando-me no seu mundo habitável e enchendo-me de prazer com os filhos dos homens. Agora, pois, filhos, ouvi-me, porque bem-aventurados serão os que guardarem os meus caminhos. Ouvi a instrução, e sede sábios, não a rejeiteis. Bem-aventurado o homem que me dá ouvidos, velando às minhas portas cada dia, esperando às ombreiras da minha entrada.

Porque o que me achar, achará a vida, e alcançará o favor do SENHOR. Mas o que pecar contra mim violentará a sua própria alma; todos os que me odeiam amam a morte.

Provérbios 8:22-36

Uma das questões que mais tem servido para atacar a fé em Deus é a Origem da Vida. Desde Darwin que a maioria da comunidade científica centra esforços em consolidar uma teoria que não tem coerência para se sustentar por si própria. O evolucionismo entrou nas escolas, nas universidades, no léxico cultural e social e o seu objectivo principal parece não ser a explicação da Vida – coisa que não é capaz de fazer – mas, conduzir as pessoas à descrença em Deus.

O fruto de uma sociedade evolucionista, cientifíca e atéia pode ser reconhecido ao longo da História. Alguns dos episódios negros da experiência Humana têm por base estes pressupostos, vide p.ex. Nazismo. A ciência não é a resposta para os males do Mundo. Ela não é capaz de prover uma dimensão moral aos relacionamentos inter-pessoais. Ela não sabe trazer conforto e paz de espírito no sofrimento. Ela não pode construir fraternidade, igualdade, aceitação, esperança. O conhecimento científico per si é amoral, isto é, nem bom nem mau. A maneira como o aplicamos à nossa vida e no nosso relacionamento com os outros, pelo contrário, expressa todas as nossas convicções morais, que, à parte de uma consciência espiritual guiada por Deus, pode traduzir-se em destruição, sofrimento, discriminação, segregação, ódio, crimes contra a Humanidade.

Alguns cientistas, no entanto, não se revêm nesta teoria e com base em evidências científicas propõem uma alternativa: o Design Inteligente. Esta abordagem nova, que é diferente do Criacionismo pois não aponta necessariamente para o Deus-Criador judaico-cristão, afirma que a ordem e a complexidade verificável da vida pressupõe que há um conjunto de regras ou princípios pré-estabelecidos que fazem com que tudo funcione. Para estes cientistas, a possibilidade da vida ter surgido por um acumular de acasos é 1:milhões de milhões de milhões de milhões…., ou seja, estatisticamente ZERO!

A visão destes homens da ciência, alguns deles de reputação mundial, tem importunado a teoria estabelecida. Os seus argumentos não são sequer considerados pela maioria da comunidade científica. Acusam-nos de ser dogmáticos e fanáticos religiosos. Muitos deles, porém, não são sequer Cristãos. A questão, segundo eles, não é religiosa, mas científica.

O que aconteceria se, nas nossas escolas, se ensinasse também a teoria do Design Inteligente? Não como argumento religioso – algo que seria improvável nas sociedades ditas laicas – mas, como argumento científico suscitador de debate na questão da Origem da Vida. Talvez em lugar de criarmos gerações sem consciência espiritual, que negam tudo o que tem a ver com Deus, amantes de si mesmas, sem afeição natural, sem valores, estaríamos a criar uma geração capaz de questionar a sua espiritualidade e indagar de onde veio a Inteligência que rege o Mundo.

A essa inquietação de alma Deus dá resposta:

Os céus declaram a glória de Deus; o firmamento proclama a obra das suas mãos.” Salmo 19:1

Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas.” Romanos 1:20

Sobre este assunto encontrei um documentário que recomendo: Expelled – No Intelligence Allowed.

NOTA: A sequência de vídeos tem de ser vista directamente no YouTube.

A origem da Vida :: Devocional

17.Mar :: Provérbios 8:22-36

Uma das questões que mais tem servido para atacar a fé em Deus é a Origem da Vida. Desde Darwin que a maioria da comunidade científica centra esforços em consolidar uma teoria que não tem coerência para se sustentar por si própria. O evolucionismo entrou nas escolas, nas universidades, no léxico cultural e social e o seu objectivo principal parece não ser a explicação da Vida – coisa que não é capaz de fazer – mas, conduzir as pessoas à descrença em Deus.

Alguns cientistas, no entanto, não se revêm nesta teoria e com base em evidências científicas propõem uma alternativa: o Design Inteligente. Esta abordagem nova, que é diferente do Criacionismo pois não aponta necessariamente para o Deus-Criador judaico-cristão, afirma que a ordem e a complexidade verificável da vida pressupõe que há um conjunto de regras ou princípios pré-estabelecidos que fazem com que tudo funcione. Para estes cientistas, a possibilidade da vida ter surgido por um acumular de acasos é 1:milhões de milhões de milhões de milhões…., ou seja, estatisticamente ZERO!

O texto de hoje revela de uma forma belíssima a Sabedoria e Inteligência necessárias para pôr em ordem o Mundo. E, tudo é obra das mãos de Deus.

  1. Concordas que o Evolucionismo conduz ao ateísmo? Porquê?
  2. Quais as consequências de pensarmos num mundo sem Deus?
  3. Faz uma pausa para contemplar a maravilha da Criação de Deus. Ela manifesta a Sua Glória. Louva-O pelos Seus actos poderosos.

Árvore familiar

 

"A árvore da Vida", no centro das 3 ramificações principais está o organismo ancestral comum, LUCA, que deu supostamente origem a todas as formas de vida existentes no planeta.

Ontem assisti a um documentário que defendia a Teoria da Evolução como explicação para a origem e diversidade da vida na Terra. Descobri um “antepassado”, um “avô” em muitos graus de seu nome LUCA ( siglas de Last Universal Common Ancestor, ou, Último Ancestral Comum Universal). 🙂 Foi muito interessante e devo dizer que concordei com muita coisa que foi dita. Estranho?

“Todas as formas de vida partilham, em maior ou menor grau, traços biológicos comuns.”

Esta importante descoberta é a base da Teoria da Evolução. Quanto mais traços comuns, maior proximidade evolutiva existe. E mais recente é o seu “aparecimento” no planeta. No entanto, todas as formas de vida podem ser traçadas a um ancestral comum, a partir do qual todas evoluíram.

Curiosamente, ao considerar esta evidência científica não consigo chegar à mesma conclusão. Perceber que todas as formas de vida partilham traços comuns é para mim a evidência da existência de um UCCU – Único Criador Comum Universal. Um único Deus, criando todas as coisas não usaria princípios de design comuns?

Pensemos em qualquer artista plástico, um pintor, por exemplo. Ao observarmos um quadro de Picasso reconhecemos imediatamente a sua autoria. Porquê? Pela existência de traços comuns rapidamente identificáveis com o autor. No entanto, ao longo da sua carreira o seu estilo foi variando e os elementos a que atribuiu maior importância foram sendo diferentes. Mas, nenhum dos seus quadros deixa de ser um Picasso. Um autor. Um traço comum. Uma diversidade de telas.

Como então concluir através dos elementos comuns à Vida que todos evoluímos de um ser primordial comum? E esse ser, de onde veio?

A fé está nos olhos de quem vê. Aos homens que querem desprezar Deus, tudo, mesmo que desprovido de sentido, serve para corroborar a sua fé no nada. Os que buscam a Deus, em TUDO veêm a sua mão sublime e poderosa.

“Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;
Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu.
Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.”
Romanos 1:20-22