Sr. Forte :: Devocional

8.Maio :: Provérbios 24:3-5

O meu filho João tem uma t-shirt – é mesmo uma das suas preferidas – com um boneco em pose atlética que se chama “Mr. Strong” – o “Sr. Forte”. Sempre que veste aquela camisola é vê-lo andar a mostrar os seus músculos a toda a gente!

Todos queremos ser fortes. E gostamos de exibir a nossa força, porque ela conquista um espaço para nós. Exibimos os títulos académicos, os feitos profissionais, as contas bancárias, as conquistas amorosas, as maroscas em que fomos bem-sucedidos. É a nossa força. Aquilo que diz aos outros que nós somos capazes, bons e temíveis.

Quando nos comportamos assim, agimos como o meu filho, exibindo orgulhosamente os músculos que só existem ainda na sua imaginação. A verdadeira força vem de outro lugar. Não é palpável, nem exibível na forma de cartão de visita.

  • Sabedoria – a capacidade para agir da maneira acertada, capacidade de identificar os erros e corrigi-los.
  • Entendimento – capacidade de compreender, de perceber a realidade, inteligência.
  • Conhecimento – conjunto daquilo que se sabe, informação, ciência.
  1. A imagem que transmitimos aos outros é muito importante no estabelecimento dos nossos relacionamentos. Como poderemos competir num mundo que “joga” com regras tão diferentes daquelas que Deus propõe?
  2. Considera os dois padrões de força que apresentamos. Qual deles pensas que produzirá melhores frutos a médio-longo prazo? Porquê?

O valor dos actos :: Devocional

15.Abr :: Provérbios 20:11

Em tempos idos, os actores no Teatro eram normalmente todos homens. Assim, sempre que era necessário apresentar uma personagem feminina, um homem disfarçava-se. Vestia um vestido, punha uma cabeleira, maquilhava-se e modelava a voz para soar mais feminina. Aos olhos de todos criava-se a ilusão de se tratar de uma mulher. O actor, no entanto, não deixava de ser homem.

Habituamo-nos desde crianças a colocar máscaras. Queremos projectar uma imagem para os outros que nem sempre corresponde àquilo que verdadeiramente somos. Algumas pessoas tornam-se peritas nessa arte da ilusão. Mas… as acções sempre revelam a verdadeira natureza do Homem. Podemos ser hábeis em enganar os outros mas, há sempre um tempo em que a máscara cai.

Disse Jesus: “pelos seus frutos os conhecereis.” (Mateus 7:20 )

  1. Qual é o grau de honestidade da imagem que projectas para os outros?
  2. O que podes fazer para que a tua imagem se torne mais genuína?
  3. Temos um ditado popular que diz que “a boca fala daquilo que o coração está cheio”. Como é que isto se aplica ao assunto de hoje?

A vã glória de parecer :: Devocional

23.Mar :: Provérbios 12:9

Há um filme do realizador português Manuel de Oliveira intitulado “Non, ou  a vã glória de mandar”. O pano de fundo deste filme é a guerra colonial portuguesa, durante a qual um oficial relata aos seus companheiros de armas, enquanto fazem a patrulha pela savana africana, a epopeia de Portugal, uma epopeia construída em torno de grandes derrotas. A história termina com a revolução de 25 de Abril de 1974, no mesmo dia em que o oficial morre, depois da sua patrulha ter caído numa emboscada.

Achei curiosa esta sinopse do filme. “Uma epopeia construída em torno de grandes derrotas”. A epopeia é um género narrativo que eterniza os feitos grandiosos de um indivíduo ou de um povo. É por isso um paradoxo construí-la em torno de derrotas e fracassos. Essa é, no entanto, a grande habilidade do Homem. Colocar-se em destaque e evidência, à mercê dos aplausos, embora a essência do que realmente é, seja vã, isto é, de pouco ou nenhum valor.

  1. O mundo valoriza a imagem, e coloca uma forte pressão sobre ti para viveres de acordo com esse padrão. Como tens lidado com isso?
  2. O texto de hoje demonstra que vale mais ser do que parecer. Concordas? Que mudanças precisas introduzir na tua vida para cumprir o conselho de Deus?