Leitura recomendada: Isaías 60

“Porque eis que as trevas cobriram a terra, e a escuridão os povos; mas sobre ti o Senhor virá surgindo, e a sua glória se verá sobre ti.” (Isaías 60:2)

Lázaro estava morto fazia 4 dias. O túmulo estava selado, o seu corpo sucumbia à decomposição. Já ninguém acreditava que esta história pudesse ter um final diferente. Mas, quando Jesus chega e diante do sepulcro clama: “Lázaro, sai para fora!” (João 11:43), aquele que estava morto sai pelo seu próprio pé, vivo! Lázaro não tinha qualquer poder em si mesmo para obedecer ao comando de Jesus. O poder é de Quem o chamou: “Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá.” (João 11:25)

Jerusalém estava em ruínas. Os muros derrubados, o templo reduzido a cinzas, o povo arrancado à sua terra. Parecia o fim, mas não era. Deus não esquece as suas promessas. O pecado não pode passar impune, mas na Sua benignidade o Senhor lembra-se da misericórdia (vs.10). “Levanta-te!” – comanda o Senhor, e a cidade, o povo e a nação são gloriosamente restaurados a uma posição inimaginável. Espalhados e destroçados pelo exílio, não havia neste povo poder para se erguer novamente. O poder vem da Luz e da glória do Rei e do reino que o Senhor fez brilhar sobre eles.

As nossas vidas estão marcadas por tantas situações que parecem irremediáveis. Uma doença, um divórcio, a perda de um ente querido. Ainda assim, o maior peso de todos é o do nosso pecado. Entregues a nós mesmos estamos perdidos. Não buscamos a Deus, nem o podemos achar. Estamos cegos, pobres e nus. Mortos. A nossa perdição é tão grande que quando o Salvador veio demos-Lhe a Cruz. Sim, porque eu e tu estávamos lá naquele dia negro. No dia em que as trevas cobriram a Terra e a escuridão os povos. Parecia o fim, mas não era.

“A Jesus Nazareno, homem aprovado por Deus entre vós com maravilhas, prodígios e sinais, que Deus por ele fez no meio de vós, como vós mesmos bem sabeis;
A este que vos foi entregue pelo determinado conselho e presciência de Deus, prendestes, crucificastes e matastes pelas mãos de injustos;
Ao qual Deus ressuscitou, soltas as ânsias da morte, pois não era possível que fosse retido por ela.” (Atos 2:22-24)

O nosso fracasso em matar Jesus tornou-se para nós a fonte e razão de toda a Esperança. Enquanto fazíamos tudo mal, Deus na Sua infinita sabedoria fazia tudo bem. Quisemos matar o Santo, e Ele dando a Sua vida pura alcançou perdão e justiça para os pecadores. Selámos o túmulo para que não mais saísse dali, mas Ele, o Senhor da Vida não podia ser retido por nenhuma pedra, nem pela Morte de quem é Senhor. Quisemos esconder o sepulcro vazio, mas o Cristo ressurecto é fonte de vida para todos os que O recebem.

O Rei venceu! E, vencerá! A Sua Luz brilha nas nossas trevas, a sua glória enche a Terra. “Levanta em redor os teus olhos e, vê!” (…) Então o verás, e serás iluminado, e o teu coração estremecerá e se alargará.” (vs.4-5)