9.Mar :: Provérbios 3:13-18

Vivemos um tempo em que o fazer se tornou mais importante do que o ser. Desde que um objectivo seja alcançado, ninguém questiona como se fez para chegar lá.  Particularmente no país em que vivemos, faz-se ode aos desenrascados, leia-se os dispostos a fazer-o-que-for-preciso-mesmo-que-não-seja-muito-correcto para vencer na vida. Curiosamente, quando avaliamos o carácter das pessoas, normalmente esses “bem-sucedidos” são desclassificados.

Haverá uma dicotomia tão irreconciliável entre o ser e o fazer?

  1. A que sabedoria se refere o texto? Porque é ela tão preciosa?
  2. Enumera os benefícios que advém dessa sabedoria descritos no texto.
  3. Como avalias essa experiência de vida? Achas que vale a pena seguir pelo caminho mais “longo”?