Devocional Advento 2014

Pois é, o Natal está quase a chegar. A euforia já chegou às ruas e às lojas! Para a maioria esta celebração perdeu todo o seu sentido original. Jesus já nem sequer é mencionado. Fala-se da família, dos presentes, do Pai Natal, dos doces, resumindo, de tudo que possa exaltar o meu EU. Esta é a mentalidade pós-moderna que invade a nossa consciência comum – individualista, em busca do prazer, focada no imediato.

A Igreja tem a responsabilidade de agir contra-cultura levantando voz para anunciar a Jesus. Embora as Escrituras não nos ensinem a celebrar o nascimento de Jesus, este é um tempo propício para partilhar ao Evangelho. Assim sendo, demos ouvidos ao desafio que nos é imposto de falar de Cristo “a tempo e fora de tempo” (2Tm.4:2).

Devocional Advento 2014À semelhança dos anos anteriores vou disponibilizar brevemente o “Devocional Advento 2014”. Este ano o tema global é: “”Conhecer Jesus”. Todas as meditações são baseadas em passagens do Evangelho de João e o objectivo é fazer sobressair a pessoa de Jesus Cristo como “a imagem da glória do Pai” (Jo.1:14). No final, será disponibilizado um livro (ebook) com a compilação de todas as meditações. Está atento, ou então, podes fazer o teu registo no formulário abaixo e recebê-lo em primeiríssima mão na tua caixa de email assim que esteja pronto!

Se quiseres dar uma olhadela no devocional do ano anterior podes fazê-lo aqui.

Jesus, o Sol da Justiça

A profecia do Antigo Testamento termina num tom sombrio. Deus está insatisfeito com o Homem. A multidão de gentios (não-judeus) vive em rebelião aberta contra Deus. Os judeus, o povo escolhido de Deus, vivem em rebelião encapotada, escondida por detrás de uma religiosidade morta. “Desviaram-se todos e juntamente se fizeram imundos” (Salmos 14:3) O Julgamento chegará, avisa o Senhor pela voz do profeta Malaquias.

Porque eis que aquele dia vem ardendo como fornalha; todos os soberbos, e todos os que cometem impiedade, serão como a palha; e o dia que está para vir os abrasará, diz o SENHOR dos Exércitos, de sorte que lhes não deixará nem raiz nem ramo. Malaquias 4:1

Mas, a voz profética deixa um vislumbre de esperança:

Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas. Malaquias 4:2

Perante o mais abominável estado de pecado do Homem, Deus prepara a Sua mais brilhante e gloriosa manifestação de Justiça. Tão majestosa será que não pode ser ignorada, ou escondida, nem diminuída no Seu esplendor, tal como o sol.

Tal como sol que brilha sobre justos e injustos, bons e maus, a glória desta Justiça será manifesta a todos, e estará sobre todos, de modo que serão julgados à luz dela. (Romanos 2:16)

E, surpreendentemente, esta perfeita Justiça não trará a ardente Ira de Deus sobre todos,  mas, cura e comunhão para muitos – os que temem o Seu nome.

Cerca de 400 anos mais tarde, depois de um longo silêncio divino, ouve-se de novo a voz profética por intermédio de Zacarias que diz:

“Louvado seja o Senhor, o Deus de Israel, porque visitou e redimiu o seu povo.
Ele promoveu poderosa salvação para nós, na linhagem do seu servo Davi,
( como falara pelos seus santos profetas, na antigüidade ),
salvando-nos dos nossos inimigos e da mão de todos os que nos odeiam,
para mostrar sua misericórdia aos nossos antepassados e lembrar sua santa aliança,
o juramento que fez ao nosso pai Abraão:
resgatar-nos da mão dos nossos inimigos para servi-lo sem medo,
em santidade e justiça, diante dele todos os nossos dias.
E você, menino, será chamado profeta do Altíssimo, pois irá adiante do Senhor, para lhe preparar o caminho,
para dar ao seu povo o conhecimento da salvação, mediante o perdão dos seus pecados,
por causa das ternas misericórdias de nosso Deus, pelas quais do alto nos visitará o sol nascente
para brilhar sobre aqueles que estão vivendo nas trevas e na sombra da morte, e guiar nossos pés no caminho da paz”.
Lucas 1:68-79

Meses mais tarde, outro homem chamado Simeão, tomando um menino recém-nascido nos braços, adorou dizendo:

“Ó Soberano, como prometeste, agora podes despedir em paz o teu servo.
Pois os meus olhos já viram a tua salvação,
que preparaste à vista de todos os povos:
luz para revelação aos gentios e para a glória de Israel, teu povo”.
Lucas 2:29-32

E, acrescentou:

 “Este menino está destinado a causar a queda e o soerguimento de muitos em Israel, e a ser um sinal de contradição,
de modo que o pensamento de muitos corações será revelado.
Lucas 2:34-35

Esse menino era JESUS. O Sol da Justiça finalmente brilhava. O Silêncio de Deus foi interrompido para fazer a maior, melhor e mais gloriosa revelação de todas – o Messias chegara, e a Salvação estava nas Suas mãos.

A História foi dividida nesse dia. Todos os acontecimentos passados, presentes e futuros só podem ser entendidos à Luz desse Homem, Jesus, o Filho de Deus. A Sua Obra, a Sua Pessoa, definem o destino de cada homem e mulher que já pisou neste mundo. Ele é a Revelação perfeita de Deus. A perfeita Justiça. O perfeito Amor. A Santidade. A Misericórdia.

Ele será a tua Salvação, ou a tua pedra de tropeço. Que farás tu de Jesus, chamado Cristo?

Jesus, o Soberano

Desde os tempos antigos se ouviam rumores sobre um Rei, um Rei que viria para reinar Soberano. Do Seu governo não haveria mais fim. Paz, Justiça, Benignidade são as marcas do Seu Reinado.

Ele julgará ao teu povo com justiça, e aos teus pobres com juízo.
Os montes trarão paz ao povo, e os outeiros, justiça.
Julgará os aflitos do povo, salvará os filhos do necessitado, e quebrantará o opressor.
Temer-te-ão enquanto durarem o sol e a lua, de geração em geração.
Ele descerá como chuva sobre a erva ceifada, como os chuveiros que umedecem a terra.
Nos seus dias florescerá o justo, e abundância de paz haverá enquanto durar a lua.
Dominará de mar a mar, e desde o rio até às extremidades da terra.
Aqueles que habitam no deserto se inclinarão ante ele, e os seus inimigos lamberão o pó.
Os reis de Társis e das ilhas trarão presentes; os reis de Sabá e de Seba oferecerão dons.
E todos os reis se prostrarão perante ele; todas as nações o servirão.
Porque ele livrará ao necessitado quando clamar, como também ao aflito e ao que não tem quem o ajude.
Compadecer-se-á do pobre e do aflito, e salvará as almas dos necessitados.
Libertará as suas almas do engano e da violência, e precioso será o seu sangue aos olhos dele.
E viverá, e se lhe dará do ouro de Sabá; e continuamente se fará por ele oração; e todos os dias o bendirão.
Haverá um punhado de trigo na terra sobre as cabeças dos montes; o seu fruto se moverá como o Líbano, e os da cidade florescerão como a erva da terra.
O seu nome permanecerá eternamente; o seu nome se irá propagando de pais a filhos enquanto o sol durar, e os homens serão abençoados nele; todas as nações lhe chamarão bem-aventurado.
Bendito seja o Senhor Deus, o Deus de Israel, que só ele faz maravilhas.
E bendito seja para sempre o seu nome glorioso; e encha-se toda a terra da sua glória. Amém e Amém.
Salmos 72:2-19

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.
Do aumento deste principado e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o firmar e o fortificar com juízo e com justiça, desde agora e para sempre; o zelo do Senhor dos Exércitos fará isto.
Isaías 9:6-7

Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha nas nuvens do céu um como o filho do homem; e dirigiu-se ao ancião de dias, e o fizeram chegar até ele.
E foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído.
Daniel 7:13-14

Muitos profetas falaram e ansiaram por esse Rei. Nem sempre Ele foi imaginado como veio. Esperava-se um grande líder. Um general valente. Um Homem valoroso de guerra que dominasse toda a terra pela espada. Mas, ele veio menino. Cresceu numa família humilde. Não guerreou. Não buscou honras vãs. Levantou a Sua voz contra a hipocrisia e injustiça e anunciou o ano aceitável do Senhor. Mostrou Amor. Compaixão. Misericórdia. Perdão. Paciência. Bondade. Benignidade. E, nós, demos-lhe a Cruz!

E, Ele tomou-a, porque nos amava. Ele sabia que o pecado precisava ser esmagado antes que pudéssemos ver e entender as virtudes daquele que nos amou. Ele se deu a Si mesmo. Mas, foi como uma semente lançada na terra, que morre para dar fruto, mais fruto e muito fruto.

Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome;
Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,
E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.
Filipenses 2:9-11

Jesus Cristo é Senhor! Aleluia! Aleluia! Toda a criação se alegra. Todos O confessarão. Aleluia! Confessa-O hoje e entra no Seu Reino de Amor. Deleita-te nas Suas promessas, na Sua bondade e na Sua fidelidade. Deixa que o Senhor cuide de ti.

Jesus, o Rei Justo

O teu trono, ó Deus, é eterno e perpétuo; o cetro do teu reino é um cetro de equidade.
Salmos 45:6

Nada há de mais terrível do que um rei soberano déspota e tirano. A perpetuação da crueldade e da injustiça é um fardo insuportável sobre os governados. Infelizmente, mesmo actualmente, conhecemos vários casos assim. Eles estão nas notícias pelas piores razões.

Por causa desses exemplos desgraçados tendemos a rejeitar toda e qualquer forma de governo absoluto sobre nós. Como se na soberania abdicada da nossa vida residisse toda a forma de miséria e infelicidade. Para nós, ser “o capitão da minha alma, o Senhor da minha vida” equivale à liberdade, e felicidade absoluta.

Estamos enganados.

Se é verdade que nenhum Homem é capaz de um governo perfeitamente justo e fraterno, é igualmente verdade que o Perfeito Homem, o Filho de Deus, Jesus Cristo, é o Rei Soberano e Absoluto, Justo e Verdadeiro. Aquilo que nenhum de nós é capaz de alcançar, Ele pode.

Há um estranho paradoxo em tudo isto. É quando abdicamos da nossa “soberania” e nos rendemos à Sua Soberania que encontramos sentido para a vida. É quando deixamos de tentar resolver tudo por nós mesmos, que encontramos soluções n’Ele. É quando descansamos na Sua Verdade e Justiça que somos finalmente felizes.

E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga e peleja com justiça.
Apocalipse 19:11

Jesus, a pedra angular

Quando eu era adolescente, um prédio da cidade onde vivia colapsou. O edifício, situado numa das principais avenidas da cidade, tombou cerca de 15-20º ficando uma moderna Torre de Pisa. A causa: fracos alicerces. Por estar implantado num terreno antes alagado, os alicerces, que não foram devidamente projectados, não suportaram o peso do edifício e este colapsou.

Nos tempos antigos, antes das modernas técnicas de construção, o edifício era estruturado em torno da “pedra de esquina”. A pedra de esquina ou angular era a pedra fundamental do edifício e a primeira a ser assentada. Ela constituía a esquina entre duas paredes e por ela eram alinhadas e sustentadas todas as outras pedras do edifício.

A pedra de esquina é a base sólida que permite que o edifício atinja a altura desejada sem ruir.

Esta imagem da construção pode ser aplicada em todas as áreas da nossa vida: casamento, família, amizades, profissão. Tudo o que fazemos necessita de uma base sólida para que tenha futuro.

Portanto assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu assentei em Sião uma pedra, uma pedra já provada, pedra preciosa de esquina, que está bem firme e fundada; aquele que crer não se apresse.
Isaías 28:16

No nosso relacionamento com Deus também devemos escolher uma base sólida. As boas obras não são suficientes. Ética não chega. Sacrifícios não podem sustentar-te diante de Deus. A pedra angular escolhida por Deus é Jesus Cristo.

Deixando, pois, toda a malícia, e todo o engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações,
Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo;
Se é que já provastes que o Senhor é benigno;
E, chegando-vos para ele, pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa,
Vòs também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdòcio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo.
Por isso também na Escritura se contém:Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa;e quem nela crer não será confundido.
E assim para vòs, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes,a pedra que os edificadores reprovaram,essa foi a principal da esquina,
E uma pedra de tropeço e rocha de escândalo,para aqueles que tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados.
1 Pedro 2:1-8

O nosso relacionamento com Deus não tem sentido aparte de Jesus Cristo. Tudo quanto fizermos de bom deve estar fundamentado n’Ele. Toda a nossa confiança e sustento fluem d’Ele. Ele é a pedra angular que nos permite edificar a vida, o lar, a igreja, de forma a que não colapsem sobre a pressão das circunstâncias. Por isso, Jesus é precioso para os que crêem.

Para os outros, os rebeldes, os desobedientes, os incrédulos, Jesus será rocha de escândalo. Outro texto explica o sentido desta expressão dizendo que serão esmagados por ela. Ou Cristo salva a tua alma da perdição, ou será por Ele que vais ser condenado eternamente ao inferno.

Qual é o teu fundamento?