Leitura recomendada: Isaías 2

“Não ponham a vossa confiança em simples mortais; são frágeis como um sopro. Que valor têm eles?” (Isaías 2:22, NVT)

Num dos seus sermões, Jesus lança o desafio: “Será que um cego pode guiar outro cego? Não é fato que ambos cairão num buraco?” (Lucas 6:39). A provocação era dirigida àqueles que se achavam superiores e desprezavam o próximo, ou os hipócritas que viviam num mundo de dissimulação. Qualquer pessoa reconhece a veracidade do que Jesus aponta. Um cego não consegue antecipar todos os perigos, ou antever o fim de um caminho. Seguir um cego não é por isso boa ideia. Mas, ser cego e seguir outro cego multiplica os problemas.

Isaías alarga o conceito para abarcar toda a humanidade. Na revelação que recebeu do Senhor todos os homens são cegos. Confiar em homens, simples mortais frágeis como um sopro, é inútil. A cegueira apontada por Deus não é física mas, espiritual. Olhos altivos são cheios de escuridão. Corações e mentes arrogantes não vêem além de si mesmos. Isso significa que mesmo quando os homens são capazes de alcançar grandes feitos, a escuridão permanece. Que no avanço científico permanecem superstições. Na prosperidade crescem as injustiças sociais. No avanço do conhecimento nascem novos ídolos. Ou seja, a evolução do humanismo não resolve nenhum dos problemas fundamentais que afligem os Homens: Quem sou eu? O que faço aqui? De onde vim e para onde vou?

Que esperança resta para nós?

A única esperança firme de encontrar respostas é Deus. Confiar que Ele fará a Sua Obra até ao fim. Que apesar dos altos e baixos da História dos Homens o firme propósito de Deus será estabelecido para sempre. Como é que Deus fará isso? Por meio do Seu Ungido, o Seu Filho Jesus.

Jesus veio para ensinar-nos os caminhos do Senhor. Ele capacita-nos à obediência. Tem a autoridade para corrigir-nos. Só Ele tem poder para regenerar-nos. Na Sua Luz nós teremos luz. O reino perfeito e glorioso do Messias é a ânsia secreta do coração de cada homem e mulher, ainda que muitos O rejeitem. Que loucura trocar o convite do Eterno pelo apelo de quem não vale mais do que um sopro!