Jesus, o Servo sofredor

17.Dezembro :: Jesus, o Servo sofredor

Quanta dor pode um Homem suportar?

Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que te alongas do meu auxílio e das palavras do meu bramido?
Salmos 22:1

Uma vez vi um documentário sobre pessoas que sobreviveram a situações impossíveis. Um dos casos era de um homem que teve um acidente na montanha. Uma pedra rolou sobre ele e esmagou-lhe uma perna. Preso e sem esperança de ser encontrado pelas equipas de salvamento o homem inexplicavelmente consegui mover o bloco de granito e soltar a perna.

Não te alongues de mim, pois a angústia está perto, e não há quem ajude.
Salmos 22:11

Nos dias de Nero milhares de cristãos foram perseguidos, torturados, deitados às feras e queimados vivos como piras para iluminar Roma. No auge do seu suplício muitos cantavam e davam glória a Deus.

Mas tu, Senhor, não te alongues de mim. Força minha, apressa-te em socorrer-me.
Salmos 22:19

Uma mãe perdeu o seu filho bebé. A dor que lhe rasga o peito sufoca toda a sua vida. O corpo inerte do seu bebé de apenas 2 meses tem que lhe ser arrancado dos braços. Os dias passados a chorar. O olhar vazio.

O sofrimento incomoda-nos. Na nossa inquietação lançamos acusações contra Deus. “Se Deus existe porque razão há fome?” “Se Deus é amor porque permite que as criancinhas sofram?” Cada uma dessas acusações é uma afronta ao carácter Santo e Amoroso de Deus. E uma injustiça porque Ele, como nós, sabe o que é padecer.

Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum.
Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.
Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.
Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca.
Isaías 53:3-5,7

Ele compreende as tuas dores. Ele compadece-se do teu sofrimento. Ele entende. Porque Ele se fez Homem, como tu. E, porque te ama muito mais do que imaginas.

Sabendo Jesus que já era chegada a sua hora de passar deste mundo para o Pai, como havia amado os seus, que estavam no mundo, amou-os até o fim.
João 13:1

Nenhum Homem suportou as dores que Jesus sofreu por mim e por ti. A sua angústia era tanta que, antevendo o que viria a acontecer, rogou ao Pai que, se possível, O livrasse. O Seu suor se fez em gotas de sangue. Mas, mesmo ali “amou-os até ao fim”.

Ao ser cravado na Cruz estendeu perdão aos seus executores. Ao ser blasfemado conduziu um condenado ao Paraíso. Pendurado entre o Céu e terra lembra-se dos seus. Porque “amou-os até ao fim”.

E desde a hora sexta houve trevas sobre toda a terra, até à hora nona.
E perto da hora nona exclamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?
Mateus 27:45-46

Jesus foi desamparado para que Deus pudesse amparar-te a ti.

Anúncios

Partilha os teus pensamentos:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s