Leitura recomendada: João 1:4-5

“A luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela.” (João 1:5)

Vivemos num jogo de sombras. Desde cedo aprendemos a esconder selectivamente quem somos, o que queremos e o que fazemos. Um objectivo é a manipulação do outro, levando-o a crer numa realidade ficcionada da qual controlamos a narrativa. Outro, este o mais fundamental, é a exaltação do EU perfeito. Estamos tão aculturados neste sistema que nem damos conta de como o pecado se insidia em tudo o que fazemos. Sim, leu bem, o pecado. O que apelidamos de manobras inocentes de convivência social, Deus chama de pecado.

É o pecado que nos empurra para as trevas. As invejas e cobiças, as mentiras, o orgulho, a vaidade, a infidelidade, o roubo e a avareza, o egoísmo e a falta de compaixão são melhor suportados na escuridão do que à luz. “Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas.” (João 3:20)

É o pecado que nos empurra para as trevas. As invejas e cobiças, as mentiras, o orgulho, a vaidade, a infidelidade, o roubo e a avareza, o egoísmo e a falta de compaixão são melhor suportados na escuridão do que à luz. (Jo.3:20)

Não há redenção sem que primeiro sejamos confrontados com a realidade do que somos. “A um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus.” (Salmos 51:17) A fim de trazer-nos a tal arrependimento, “Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho” (Hebreus 1:1). O Verbo divino Encarnado é a Luz que expõe as nossas trevas.

As trevas são o espaço onde escondemos as coisas que desejamos se mantenham secretas de tão vergonhosas que são. Mas, a Luz brilhou nas trevas! A luz revela, põe em evidência, testa e examina todas as coisas. E, por isso, as trevas não prevalecem contra a luz. A vida perfeita e santa do Unigénito Filho de Deus, vivendo entre nós, em tudo tentado, mas sem pecar, expõe o negrume do nosso pecado. É inescapável. Para muitos, a Luz do Mundo não é compreendida, nem aceite. Mas, estes não prevalecerão. Para outros, a Luz traz contrição e é desejável. Para estes, há pleno perdão e salvação!

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigénito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.
Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigénito Filho de Deus.
E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más.
Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas.
Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus.” (João 3:16-21)