Confissão: lições de uma criança

Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.
1 João 1:9

Amo muito todos os meus filhos. Cada um deles é único e um fascínio para mim. Hoje, o J. e eu tivemos uma boa conversa. E, eu aprendi uma profunda lição espiritual.

O J. é um menino de coração puro. Ele reage com sinceridade e urgência aos seus erros e à injustiça. Hoje, quando nos preparávamos para sair de casa, reparei que o casaco dele estava sujo. Perguntei-lhe como o tinha sujado e ele respondeu que tinha acidentalmente vertido iogurte. Não o repreendi, mas, ao sairmos da porta, ele confessa espontaneamente que não tinha sido ele a verter o iogurte, e sim um colega de turma.

Percebi imediatamente que a história ainda estava a começar. Sem tecer grandes comentários deixei-o falar livremente. Durante aproximadamente metade do percurso para a escola ele descreveu-me o mau comportamento do seu colega que gosta de atirar coisas por cima do muro da escola. Foi assim que o iogurte foi parar ao casaco! De defender o colega, ele passou rapidamente a atribuir-lhe todas as culpas.

Subitamente, ele diz: ” Sabes, papá… – um pai sabe sempre que depois destas palavras não vem nada de bom 😉 – o A. ensinou-me a atirar as coisas por cima do muro, por isso eu também atirei. Mas, foi ele que me ensinou!” E, pronto: a confissão final!

Visivelmente frustrado pelo seu mau comportamento e pela tentativa de o encobrir, a confissão abriu caminho ao arrependimento e à resolução de mudar de atitude.

Não consigo expressar como me senti orgulhoso dele. E, como me senti ensinado pelo Senhor. Recordei o texto de 1 João citado acima. E, do Salmo 51, que, por coincidência, foi a base do excelente sermão desta noite na IEAveiro (obrigado, Daniel). Obrigado, Deus. Ajuda-me a aprender esta lição.

Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto.
Salmos 51:10

Jesus, o esmagador da serpente :: Devocional

3.Dezembro :: Jesus, o esmagador da serpente

No mundo perfeito criado por Deus entrou o Perturbador. Adão e Eva, criados à imagem e semelhança de Deus, para com Ele se relacionarem, receberam o mais precioso de todos os dons: a liberdade. Não era por imposição ou obrigação que amavam o Senhor, mas por escolha. Assim como foi por escolha que decidiram dar ouvidos a Satanás e desobedecer ao Criador.

A desobediência trouxe consequências catastróficas para a Humanidade. Pecado. Morte. Perda de comunhão. Vergonha. Ira. Castigo. Mas, na desolação do fracasso do Homem, Deus traz uma promessa de Redenção.

“Então o SENHOR Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isto, maldita serás mais que toda a fera, e mais que todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida.

E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.” (Génesis 3:14,15)

O triunfo do perturbador Satanás, arruinando a Criação perfeita de Deus, não era a palavra final. A serpente seria esmagada – o diabo vencido. E, por quem? Pela semente da mulher. Uma promessa tão misteriosa que era ainda difícil de discernir. Mas, eis que 4000 anos depois,

“Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei,

Para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos.

E, porque sois filhos, Deus enviou aos vossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai.

Assim que já não és mais servo, mas filho; e, se és filho, és também herdeiro de Deus por Cristo.” (Gálatas 4:4-7)

A promessa do Éden cumpre-se em Jesus Cristo, e, de uma forma absolutamente gloriosa. Ele veio remir-nos, isto é, libertou-nos da dívida que tinhamos para com a justiça de Deus por causa do nosso pecado. E, por causa dEle, podemos ser acolhidos por Deus como filhos e herdeiros. Que mudança! De criaturas caídas a filhos de Deus!

O plano de Satanás foi frustrado pelo coração amoroso, compassivo, misericordioso e justo de Deus, que se dispôs a sacrificar o Seu próprio Filho para resgatar o Homem que O rejeitou no Éden. A serpente foi esmagada, e o Filho de Deus ferido.

“Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.

E, despojando os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em si mesmo.” (Colossenses 2:14,15)

Foi por Amor de mim e de ti…

Deus e os quebrantados

“O espírito do homem susterá a sua enfermidade, mas ao espírito abatido, quem o suportará?” Provérbios 18:14

Estar perto de alguém quebrantado não é fácil. A dor que lemos no rosto e nos gemidos do outro faz-nos sentir desconfortáveis. E, a impotência para mudarmos a sua situação faz-nos sentir um pouco sem jeito, sem saber o que fazer ou dizer.

O quebrantamento – nosso ou dos outros – confronta-nos com a nossa fragilidade. Somos quebrados, amachucados, abatidos até ao chão, e não podemos resistir. Somos vencidos, domados na nossa fúria e raiva que nos cega. Somos enfraquecidos, drenados de vigor, de energia, de entusiasmo. Somos prostrados.

Por vezes, é simplesmente a vida que nos machuca. Outras, as palavras de um amigo. Ou, um olhar interior que revela que ainda não somos que queremos ser.

Esses tempos difíceis podem ter um propósito:

“Os tempos difíceis são uma lente de aumento que nos mostra quanto precisamos dEle. É quando podemos sentir mais a presença de Deus. Lembra-te: Ele está perto do coração quebrantado, por isso não isto não deve ser uma surpresa.” – Josh Wilson, a propósito da sua música “Fall Apart“.

Deixa que Deus te sustente o coração quebrantado. Deixa que Ele te levante. Restaure. Molde. Para Sua Glória.

“(…) a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus.” Salmos 51:17

“Perto está o SENHOR dos que têm o coração quebrantado, e salva os contritos de espírito.” Salmos 34:18

Vendetta :: Devocional

17.Abr :: Provérbios 20:22

O espírito de vingança é a força motriz de muitos filmes, novelas e romances. Neles, um dos protagonistas, vive obcecado com a idéia de retribuir quintuplicado o mal que lhe foi feito, a ele a aos seus queridos. Essa obsessão torna-o amargurado, mau, prepotente, e limitado nas suas opções. Toda a sua vida está direccionada para a vingança e quando ela chega, ou não, o seu mundo acaba, porque perde a razão de viver.

O espírito de vingança nasce de um sentimento de auto-preservação exagerado. Reagimos com violência contra tudo e todos que nos prejudiquem, ainda que involuntariamente. E, no processo de destruir os outros, destruímo-nos a nós mesmos.

Deus apela a um caminho diferente. Um caminho de mansidão, uma força controlada e não de fraqueza. Ser capaz de não retribuir o mal com mal é o sinal de verdadeira força. Ser capaz de retribuir o mal com bem é o sinal da força maior de todas, o Amor de Cristo reflectido em nós. Mansidão. Perdão. Descanso. Esperar em Deus, para que dê a justa retribuição a cada um pelos seus actos é libertador. Liberta a nossa vida, mente e coração, para viver todo o potencial que Deus preparou para nós. Sem ficarmos amarrados a um passado doloroso, avançamos para a Vida Abundante que Ele dá.

  1. Há um contraste grande entre vingança e mansidão. Faz uma lista de prós e contras de cada um e reflecte sobre qual das atitudes trás maior benefício para ti.
  2. Por que é que a mansidão não pode ser confundida com fraqueza?
  3. Há algum relacionamento que precises restaurar? Ora a Deus e pede que Ele mude o teu coração e o da outra pessoa envolvida. Depois, age. Busca a reconciliação.

O processo :: Devocional

1.Abr :: Provérbios 16:5,6

Segundo a Wikipédia, PROCESSO (no latim procedere é um verbo que indica a acção de avançar, ir para a frente (pro+cedere)) é o conjunto sequencial e peculiar de acções que têm como objectivo atingir uma meta.

Quase tudo na vida deriva de processos. A confecção de uma refeição. O funcionamento de um motor. A gestão de uma empresa. A biologia de um corpo. Mesmo nos nossos relacionamentos inter-pessoais podemos reconhecer a dinâmica básica de um processo. Creio que isso resulta da ordem com que Deus fez todas as coisas.

O nosso relacionamento com Deus também é um processo. Há um passo inicial, e uma sequência de outras decisões, que culminam num objectivo final. Os versículos de hoje falam disso:

  • Mudança de coração, ou arrependimento. Não é possível chegar a Deus sem essa atitude de humildade diante dEle. Não é uma encenação exterior, mas uma revolução do coração. Um desejo de mudança. Um desgosto com o pecado. Uma emergência por salvação.
  • Confissão. O perdão vem pela misericórdia e pela verdade. O arrependimento leva à confissão do pecado e ao apelo à misericórdia de Deus.
  • Santificação. A sinceridade nos passos anteriores conduz inevitavelmente à última parte do processo: o desejo de nunca voltar atrás. Colocar Deus como a prioridade, temê-Lo, afasta-nos do pecado.

A verdadeira conversão é como uma reacção em cadeia – uma vez iniciado o processo não é possível travá-lo, uns passos sucedem aos outros até atingir o objectivo final. Apesar disso muitos tentam travar e parar a obra de Deus nas suas vidas.

  1. Em que parte do processo estás tu?
  2. Que coisas têm travado o teu progresso?
  3. Fica por momentos em oração diante de Deus e reavalia o teu relacionamento com Ele. Deixa que Ele te mostre qual o próximo passo a dar no teu processo de nova vida em Cristo.