O J. está a entrar na chamada “idade dos porquês”. 🙂 A cada situação nova ou a cada pedido ou explicação logo se segue um enfático:

“Porquê?”

E depois outro. E outro. E outro. Até que a sua curiosidade e sede de conhecimento e compreensão estejam inteiramente satisfeitos. 🙂

Já me tinha interrogado se quando esta fase chegasse eu teria a paciência e disponibilidade para responder até ao infinito a tantos “porquês”. Descobri que sim! A paternidade desperta reservas desconhecidas de generosidade e endurance! 😉

Ao pensar nisto ocorreu-me uma coisa. Numa pesquisa rápida descobri que na Bíblia a palavra “porque” aparece mais de 5500 vezes. Tantas quantas Deus respondeu à célebre questão: “Porquê?” Não é por acaso que Ele diz:

Vinde então, e argüi-me, diz o SENHORIsaías 1:18

Deus não se aborrece com as nossas perguntas ou dúvidas. Ele é paciente e generoso – muito mais do que eu ou tu. Um espírito inquisitivo abre portas ao conhecimento, e Deus que ser conhecido de todos. Mas, quando os nossos “porquês” revelam um coração rebelde, insubmisso, mesquinho ou incrédulo não esperemos resposta.

Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.” Tiago 4:6