Câmara lenta

As novas capacidades tecnológicas permitem-nos olhar para o mundo que nos rodeia com outros olhos. As câmaras de gravação de alta velocidade captam movimento que não é visível para ao olho humano. Ao fazer a reprodução a uma velocidade ultra-lenta possibilitam a visualização de trajectórias e dinâmicas de movimento que nunca tínhamos percebido antes. É uma ferramenta eficaz na análise de técnicas desportivas e em estudos da natureza. E, talvez devêssemos aplicá-las à nossa vida – metafóricamente, claro.

Um amigo disse que “não há momentos de loucura“, referindo-se à desculpa habitualmente usada para justificar comportamentos que não conseguimos enquadrar no padrão da normalidade. “Não há momentos de loucura, há vidas de louco – cheias de mentira, hipocrisia, imoralidade – que um dia já não se conseguem manter.”

Fiquei a pensar nisso. Lembrei-me de uma música “Slow fade” dos Casting Crowns, que fala do mesmo assunto:

“As pessoas nunca caem num dia.” (Slow fade, Casting Crowns)

A música fala do longo processo que gera o pecado. O mesmo de que falava o meu amigo. O mesmo de que fala Tiago na sua Carta.

“Cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte.” (Tiago 1:14-15)

O olhar luxurioso que se repete. Os passos que se habituam a um caminho. Os pensamentos que guardamos em secreto. As conversas que nos incitam. As palavras que se semeiam. Alimentamos a nossa concupiscência, isto é, o nosso desejo pelo pecado a tal ponto que um dia já não o podemos conter mais.

“A distância da mente para as mãos é mais curta do que tu pensas.” (Slow fade, Casting Crowns)

Ah, se ao menos pudéssemos ver a nossa vida em câmara lenta, como Deus a vê! Aí perceberíamos onde está o nosso desvio da rota e poderíamos corrigir a nossa trajectória antes de acabarmos em ruína! A verdade é que podes:

“Portanto, livrem-se de toda impureza moral e da maldade que prevalece, e aceitem humildemente a palavra implantada em vocês, a qual é poderosa para salvá-los.
Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos.
Aquele que ouve a palavra, mas não a põe em prática, é semelhante a um homem que olha a sua face num espelho
e, depois de olhar para si mesmo, sai e logo esquece a sua aparência.
Mas o homem que observa atentamente a lei perfeita que traz a liberdade, e persevera na prática dessa lei, não esquecendo o que ouviu mas praticando-o, será feliz naquilo que fizer.”
Tiago 1:21-25

Está nas tuas mãos precaveres-te contra o pecado.

Videoclipe de Casting Crowns – Slow Fade. (C) 2008 Provident Label Group LLC, uma unidade de SONY BMG MUSIC ENTERTAINMENT

Anúncios

Partilha os teus pensamentos:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s