A Justiça de Deus em salvar pecadores (3)

Visto que as nossas transgressões e os nossos pecados estão sobre nós, e nós desfalecemos neles, como viveremos então?
Ezequiel 33:10

Como escapar da condenação e ira? A resposta a essa pergunta é a mais importante de toda a tua vida.

Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.
Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus;
Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.
Romanos 3:24-26

O texto fala da paciência de Deus, e de pecados cometidos sob a paciência de Deus. Desde a Queda, Deus tem retido a Sua Ira e tem suportado os pecados dos Homens. Ele tem demonstrado Graça e Misericórdia para com todos não nos dando a justa retribuição pelos nossos pecados no momento em que os cometemos. Tudo isso é possível por causa de Jesus Cristo – o Cordeiro que estava preparado ainda antes da fundação do mundo (1 Pedro 1:20; Apocalipse 13:8). O plano de Deus é perfeito! Deus tem agido assim porque quer chamar-te ao arrependimento.

Ou desprezas tu as riquezas da sua benignidade, e paciência e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te leva ao arrependimento? Romanos 2:4

Mas, um dia a Sua paciência não susterá mais a Sua Santa e Justa Ira.

Mas, segundo a tua dureza e teu coração impenitente, entesouras ira para ti no dia da ira e da manifestação do juízo de Deus; O qual recompensará cada um segundo as suas obras; a saber: A vida eterna aos que, com perseverança em fazer bem, procuram glória, honra e incorrupção; Mas a indignação e a ira aos que são contenciosos, desobedientes à verdade e obedientes à iniquidade; Romanos 2:5-8

A Bíblia ensina que a Salvação vem pela fé em Cristo. (Efésios 2:8-9) A Obra de Jesus Cristo é a única que pode satisfazer a Justiça de Deus. Ora, a fé, essa fé salvadora, não é natural em nós. Ela é despertada nos nossos corações quando ouvimos a Palavra de Deus. (Rom.10:17)

Convicção de pecado e da Santidade de Deus

A revelação de Deus à nossa mente e coração, o conhecimento da Sua Natureza, da nossa natureza, produz em nós, pela acção do Espírito Santo – ou seja, do próprio Deus – uma profunda convicção acerca das coisas eternas.

Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei.
E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo.
Do pecado, porque não crêem em mim;
Da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais;
E do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado.
Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora.
Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir.
Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar.
João 16:7-14

O Espírito Santo conduz-nos a toda a verdade. Toda a verdade sobre Deus. Toda a verdade sobre nós. Ele mostra-nos a Glória do Deus Santo, a perfeição do Seu Carácter. E, mostra-nos o nosso pecado, rebeldia e desobediência. Mostra-nos a Santidade de Deus, e a abominação do pecado. Mostra-nos a Ira Justa do Santo, e a condenação merecida do Homem. Mostra-nos Jesus Cristo, a Graça, a Misericórdia de Deus, e a esperança que eles representam para a Humanidade. Toda a verdade.

Arrependimento

Essa verdade deve produzir em nós uma profunda convicção de pecado, vergonha e culpa diante da Santidade de Deus. Mas, ao mesmo tempo, deve elevar os nossos corações com a esperança de que Deus proveu para nós uma gloriosa Salvação. Por isso, Deus nos exorta:

Portanto, como diz o Espírito Santo: Se ouvirdes hoje a Sua voz, não endureçais os vossos corações.
Hebreus 3:7-8

Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado.
Hebreus 3:13

Se endurecemos os nossos corações não resta para nós qualquer esperança de Salvação. Da nossa obstinação em recusar a oferta gratuita e graciosa de Deus – a justificação pela fé em Jesus – só resultará condenação. Mas, se ao ouvirmos a Verdade, chorarmos a nossa vergonha, sentirmos a nossa culpa e nos arrependermos do nosso pecado, os Céus se abrirão com Graça, Misericórdia e Perdão.

Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor. Atos 3:19

Arrependimento é mais do que remorso. Muito mais do que nos sentirmos mal com o nosso pecado. É detestá-lo. Abominá-lo. Fugir dele. Não o tolerar mais. Não o desejar mais na nossa vida. É amar e não aborrecer a Deus. É amar a santidade, a justiça e verdade. É vir para a Luz. É desejar, de todo o coração, viver para a glória de Deus.

Confissão

O arrependimento é uma mudança radical de interesses, afectos, vontades e prioridades. É uma transformação tão radical do coração que a Bíblia fala de conversão – somos mudados noutra coisa. Um novo nascimento (João 3:3). Uma nova criação de Deus (2 Coríntios 5:17). Este tipo de arrependimento e tal transformação só podem vir de Deus (João 1:13).

Esta mudança produz um impacto tão grande nos nossos corações e nas nossas mentes que os lábios que antes protestavam: “Não há Deus!” (Salmos 53:1) agora alegremente confessam e proclamam que “Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai” (Filipenses 2:11).

A palavra está junto de ti, na tua boca e no teu coração; esta é a palavra da fé, que pregamos,
A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.
Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.
Romanos 10:8-10

A confissão de Jesus Cristo como Senhor é uma evidência da genuína conversão. O reconhecimento do pecado é importante. O arrependimento é fundamental. A confissão de pecados requerida. Mas, confessar a Cristo como Senhor é a prova que estamos a ser dirigidos pelo Espírito Santo de Deus (1 João 4:15; 1 João 4:2; 1 João 2:22; 1 Coríntios 12:3). A confissão do senhorio de Cristo é a nossa declaração de dependência da Sua Obra. A confissão de Cristo é a nossa declaração de rendição ao Seu senhorio.

Justiça Imputada

Quando há esta fé em ti e o teu coração é assim convertido, Deus será “justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.” (Romanos 3:26) Deus permanece Justo ao salvar-te porque a Sua Justiça foi satisfeita em Cristo. E, a ti, que crês, ele pode justificar – ou seja, declarar justo – por causa da tua fé na Obra expiatória de Cristo. A Bíblia chama a isso Justiça Imputada.

Ora, àquele que faz qualquer obra não lhe é imputado o galardão segundo a graça, mas segundo a dívida.
Mas, àquele que não pratica, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça.
Romanos 4:4-5

Não é pelas nossas obras, ou méritos, ou vontade, que somos declarados justos. Essa justiça é-nos atribuída – ou seja, imputada – por Deus, por causa da nossa fé em Cristo. É a Justiça de Cristo que agora é também a nossa justiça (2 Coríntios 5:21).

A maravilha da Salvação não termina aqui. Tendo sido justificados, fomos reconciliados com Deus (Romanos 5:1; Romanos 5:10). E, não só reconciliados mas, feitos filhos de Deus, adoptados na família de Deus (João 1:12; Romanos 8:14; Romanos 8:16; 1 João 3:1) . E, sendo adoptados, feitos co-herdeiros com Cristo de todas as coisas (Romanos 8:17)!

Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos!
Por que quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro?
Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado?
Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.
Romanos 11:33-36

Vem HOJE a Jesus Cristo. Arrepende-te. Crê. Confessa. E serás salvo!

_________________________________

No último capítulo desta série sobre a “Justiça de Deus” falaremos sobre a compreensão do sofrimento à luz da Palavra de Deus.

_________________________________

Outros artigos da série: A Justiça de Deus 

Anúncios

Partilha os teus pensamentos:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s